O prazer de fazer aquilo que gostamos | A simplicidade da cozinha vegetariana + Receita

O prazer de fazer aquilo que gostamos

É difícil descrever o prazer que me proporciona a cozinha vegetariana. Dizem que é importante gostarmos daquilo que fazemos. No meu caso, eu amo incondicionalmente o que faço. Adoro ir fazer as compras aos mercados e sentir a frescura e simplicidade dos legumes, das leguminosas, das frutas. Adoro perder-me em busca de ingredientes menos conhecidos em lojas de produtos biológicos e naturais, e imaginar o que poderei fazer com eles. Adoro chegar a casa com os meus ECO sacos carregados de coisas boas e bonitas, e arrumá-las com todo o cuidado que elas precisam (e merecem). 

Adoro o momento de cozinhar essas mesmas coisas boas e bonitas, seja apenas para mim ou para vocês, e transformá-las em pratos ainda mais bonitos. Adoro aquelas horas à noitinha e de manhã muito cedo que dedico à pesquisa de novas ideias e inspirações. Adoro cada livro que compro ou que me oferecem, que esteja de algum modo relacionado com cozinha. Adoro escrever para vocês. Adoro todas as mensagens que vocês me escrevem. Adoro o vosso feedback sobre aquilo que cozinho para vocês. Adoro carregar o carro com tudo aquilo que faço com muito amor e levar até à vossa porta. Adoro conhecer-vos. E adoro perceber que vos inspiro de alguma forma a tornarem a vossa vida mais saudável, mais simples, mais feliz. Sim, adoro aquilo que faço. 


A simplicidade da cozinha vegetariana

Uma das coisas que mais gosto e me dá prazer é a simplicidade...os pequenos detalhes escondidos... A alimentação que faço proporciona-me isto a toda a hora...

É verdade que gosto de desafios. É verdade que gosto de inovar na cozinha. É verdade que gosto de fazer pratos demorados e com um sem número de passos para seguir. Mas também é verdade que gosto daquelas refeições simples, que se fazem em pouco mais de cinco minutos, mas que nos satisfazem por largas horas. 

A receita de hoje é assim...Simples, bonita e com vida. Porque a beleza está na simplicidade das pequenas coisas. O segredo está na escolha dos ingredientes, no optar pelos biológicos em vez dos convencionais, e principalmente no carinho com que os preparamos. 

Fiz este prato há dois dias atrás. Cheguei a casa à hora do almoço, não tinha nada preparado e não podia perder muito tempo, porque a tarde avizinhava-se longa. Abri o frigorífico, perdi dois minutos a olhar para o que lá tinha, e comecei a escolher. Fiz a minha escolha com base na cor e no tipo de alimento. Escolhi uma leguminosa (essencial) e três cores diferentes. Estava assim completa a minha necessidade nutricional. Dez minutos depois (cinco para preparar e cinco para cozinhar) tinha o meu almoço simples, bonito e com vida! E bem que me soube pela vida!

Nota: Sobrou um bocadinho, que guardei e reaproveitei no prato que fiz para o jantar.


Almoço Simples, Bonito e com Vida!
Sem glúten
(Serve 1 pessoa)
Tempo de preparação: 10 minutos


Ingredientes
1 Cebola, fatiada
Um fio de Azeite Extra Virgem
1/4 Pimento Verde, fatiado
1 Alho Francês, fatiado
3 Cogumelos Shiitake grandes, fatiados 
1/2 dúzia de Ervilhas de Quebrar, cortadas a meio
1/2 Courgette, cortada em generosos pedaços
2 Tomates maduros, cortados em generosos pedaços
Uma pitada de Sal Marinho biológico com ervas aromáticas
Pimenta Branca a gosto, moída na hora


Preparação:

Lave e corte todos os ingredientes. Numa frigideira larga, aqueça um fio de azeite, junte a cebola fatiada e aloure.

Junte o pimento e refogue um pouco.

Junte ao mesmo tempo o alho francês, os cogumelos, as ervilhas de quebrar e a courgette. Tempere com o sal marinho e a pimenta branca e deixe cozinhar uns minutos, até todos os ingredientes estarem macios.

Por último, junte o tomate e cozinhe por mais um minuto.

Desligue o lume e sirva de imediato.

Bolo de Laranja e Chocolate (sem glúten) | Desafio Gluten-Free Living























 A Gluten-Free Living é uma loja online portuguesa que dispõe de uma grande variedade de alimentos sem glúten recomendados para celíacos ou para quem opte por uma vida mais saudável. Na loja, podem também encontrar produtos sem lactose, frutos secos, soja, ovo ou sal.

Para comemorar a abertura, estão a oferecer os portes de envio aos primeiros 50 clientes. A entrega ao domicílio é feita num prazo máximo de 3 dias úteis.

Espreitem também a página de Facebook deles, onde vão partilhando dicas, artigos e receitas para uma vida livre de glúten.

Devagarinho, Portugal caminha para uma mudança de consciência e de hábitos alimentares, e este projeto é exemplo vivo disso!


Desafio Gluten-Free Living






























A Gluten-Free Living desafiou-me a criar algumas receitas sem glúten, tendo por base alguns dos produtos que vendem na loja. Nos próximos dias, vou partilhar aqui essas receitas com vocês. O meu objetivo é mostrar-vos como é simples eliminar o glúten da nossa cozinha, com refeições saudáveis, nutritivas e deliciosas.

Assim que recebi os produtos em casa, soube logo qual seria a minha escolha para a primeira receita. Com muitos quilos de laranjas sumarentas a ocupar-me a cozinha, decidi fazer um bolo. Às laranjas, juntei cacau cru, para criar uma combinação de sabores imbatível.  Resultou lindamente.

Para esta receita, usei a Farinha para bolos da Nutri Free - Mix per dolci (500g). Esta é uma farinha de milho, arroz e tapioca, ideal para a preparação de bolos e sobremesas. Os seus principais ingredientes são o amido de milho, farinha de arroz, amido de tapioca, açúcar e fibras vegetais.

Usei também o Fermento em pó da ADPAN, ideal para pão e todo o tipo de doçaria.


Bolo de Laranja e Chocolate 

Sem glúten
Faz 1 bolo
Tempo de preparação: 60 minutos


Ingredientes 

Para o bolo de chocolate:
1,5 cup/chávena de Farinha para bolos Nutri Free - Mix per dolci
1 cup/chávena + 1 colher de sopa de Açúcar
6 colheres de sopa de Cacau Cru em pó
1 colher de chá de Fermento em pó ADPAN
1/8 colher de chá de Sal Marinho fino
1 cup/chávena de Água morna
1/4 cup/chávena de Óleo Vegetal (Girassol, Azeite Extra Virgem, Côco)
1 colher de sopa de Vinagre de Sidra
2 colheres de chá de Essência de Baunilha

Para o bolo de laranja:
1,5 cup/chávena de Farinha para bolos Nutri Free - Mix per dolci
1 cup/chávena de Açúcar
1 colher de chá de Fermento em pó ADPAN
1/2 colher de chá de Sal Marinho fino
1 cup/chávena de sumo de Laranja (laranjas espremidas)
1/3 cup/chávena de Óleo Vegetal (Girassol, Azeite Extra Virgem, Côco)
1 colher de sopa de raspa de Laranja
1 colher de sopa de Vinagre de Sidra
1 colher de chá de Essência de Baunilha





























Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º.

Prepare cada bolo em tigelas separadas.

Para cada um dos bolos:
Peneire e misture os ingredientes secos. Adicione os ingredientes líquidos. Incorpore todos os ingredientes muito bem, com a ajuda de um batedor manual.

Numa forma larga e redonda para bolos, adicione alternadamente as duas misturas, de forma a criar o efeito que se vê na fotografia. Leve ao forno a 180º cerca de 50 minutos, ou até que um palito saia limpo.

Deixe arrefecer na forma cerca de 15 minutos e depois transfira o bolo para uma rede.

Deixe arrefecer completamente.


Vegan Mac n' Cheese with a Twist | Meatless Monday



Tinha esta receita guardada há algum tempo para vocês.

O Mac n' Cheese é um prato típico americano cujos ingredientes principais são o macarrão e o molho de queijo. Esta receita que partilho com vocês omite o queijo, mas sinceramente nem vão dar pela sua falta. Este molho branco que hoje vos ensino a fazer, além de supeeeeeeer delicioso e light, é muito simples e versátil e resulta muito bem nesta versão de Mac n' Cheese.

Juntei Cogumelos e alguns Legumes, para criar um prato nutricionalmente completo. Sim, porque não me convence muito como refeição um prato de massa e molho, por mais saudável que esse molho seja, como é o caso deste.

Assim, num máximo de 20 minutos, temos uma refeição completa e repleta de sabor, a fazer lembrar o tradicional Macarroni and Chesse. Mas melhor, na minha opinião.

Guardem a receita deste molho e experimentem usá-lo depois noutras receitas.

Vegan Mac n' Cheese with a Twist
(Serve 2 pessoas)
Tempo de preparação: 20 minutos

Ingredientes
Macarrão para duas pessoas, cozido de acordo com as instruções da embalagem
Um fio de Azeite Extra Virgem
1 Cebola média, picada
2 dentes de Alho, picados
1 Cenoura grande, sem pele e cortada em fatias finas
Metade de um Pimento Vermelho grande, cortado em fatias
200 gramas de Cogumelos frescos, cortados em fatias
1 Alho Francês, cortado em fatias
2 Tomates médios maduros, cortados em pedaços pequenos
Sal Marinho
Manjericão seco, a gosto

Para o molho:
4 colheres de sopa de Caju neutro em pó (triturado)
2 colheres de sopa de Farinha
1/2 cup/chávena de Leite Vegetal (usei leite de amêndoas)
4 dentes de Alho
1/2 colher de chá de de Mostarda Dijon
1 colher de sopa de Levedura de Cerveja
1/4 colher de chá de Sal Marinho
Pimenta Branca moída na hora, a gosto
1 colher de sopa de Azeite Extra Virgem






























Preparação:

Triture os cajus (neutros, sem sal) num processador de alimentos, até ficarem reduzidos a farinha.
Adicione ao processador os restantes ingredientes para o molho, e triture até obter uma consistência cremosa. Prove a ajuste os temperos a seu gosto. Reserve.

Num tacho largo, salteie ligeiramente a cebola e o alho num fio de azeite. Junte a cenoura e o pimento e salteie cerca de 3 a 4 minutos, até estes amolecerem ligeiramente.

Junte os cogumelos e o alho francês e salteie mais uns minutos, até todos os ingredientes se apresentarem macios.

Adicione o macarrão previamente cozido, o sal marinho, o manjericão, os tomates e o molho e misture bem.

Tape o tacho e cozinhe por 2 a 4 minutos em lume baixo, até o molho começar a ferver. Prove e ajuste os temperos a seu gosto.

Sirva quente, coberto com queijo vegetal ralado, pão ralado ou pimenta branca.

Nota 
No final, pode levar o Mac n' Cheese ao forno a gratinar, durante uns minutos. Confesso que saltei esta parte. A pressa de o provar foi mais forte do que eu. E não me arrependo, o prato estava divinal! 






Detoxing | Balanço final + Sumos VS Smoothies



O meu mês de detox já está a chegar ao fim, e faço agora um balanço final sobre a experiência.

Primeiro vamos à balança. O meu objetivo com este plano detox de quatro semanas não era emagrecer, mas sim eliminar toxinas. No fundo, queria fazer um restart ao meu organismo. Já tinha o meu peso ideal, pelo que tentei ao longo do mês manter o peso, sabendo no entanto que seria provável que perdesse um ou dois quilos. E foi o que aconteceu.

Optei também por um detox simples, sem grandes privações. Ou seja, não me alimentei única e exclusivamente à base de líquidos, como expliquei aqui. No entanto, os sumos e smoothies são imprescindíveis no processo de desintoxicação do organismo, e é sobre eles que vou falar neste post. E o melhor, é que os podemos fazer com tudo o que tivermos "à mão", evitando desta forma os desperdícios.

E agora, qual a diferença entre um SUMO e um SMOOTHIE? Tudo se resume à forma como o preparamos...


Sumo vs Smoothie

Temos um sumo quando a polpa é extraída do fruto ou vegetal. Neste caso, a fibra não é aproveitada. Isto acontece quando usamos uma centrifugadora (imagem em baixo), cujo depósito vai reter os "restos" dos alimentos utilizados: a fibra.
Usar uma centrifugadora é muito prático. Basta pegarmos no que nos apetecer, colocar dentro da máquina, e...temos sumo! E o melhor é que não é necessário descascarmos os frutos/vegetais de casca menos rija, como maçãs, pêras, pepinos, tomates, entre outros. Esta máquina é ótima também para aqueles frutos/vegetais mais difíceis de triturar e converter num sumo decente. Experimentem colocar beterrabas ou cenouras, por exemplo, e maravilhem-se com a delicadeza do sumo que é feito em 2 segundos, sem necessidade de adicionar água ou outro líquido. Por este motivo, fazer sumos é fantástico, pois podemos facilmente obter todas as vitaminas e minerais dos alimentos, sem qualquer esforço e de forma rápida. Adicionalmente, o nosso corpo absorve os nutrientes com a máxima eficiência. Como o corpo não precisa de digerir a fibra, os nutrientes são assimilados numa questão de minutos.

Centrifugadora















































Contrariamente ao sumo, temos um smoothie quando a totalidade do alimento é triturada numa bebida espessa (com mais consistência do que o sumo), usando toda a fruta/vegetal, à exceção da casca e sementes no caso de alguns alimentos. Os smoothies são ótimos na medida que a fibra obtida nos sacia e põe os nossos intestinos a funcionar.

Para os fazer, usamos uma liquidificadora (imagem em baixo). Na grande maioria dos casos, para fazer um smoothie, temos de adicionar algum líquido à liquidificadora, para garantir que os alimentos são bem triturados. Água mineral ou água de côco, sumo de algum fruto (que podemos preparar antecipadamente na centrifugadora) ou leite vegetal são algumas das opções possíveis.

Podemos fazer smoothies puros de fruta, adicionar legumes para uma combinação mais rica ou fazer um batido cremoso, adicionando leite de amêndoas ou de côco, como exemplo.

Liquidificadora


























O nosso corpo precisa das vitaminas, minerais e enzimas que os alimentos crus contém.
Se não obtivermos o suficiente na nossa dieta, a nossa reserva torna-se fraca, deixando-nos mais suscetíveis a doenças. É por isso de extrema importância incluir diariamente alimentos crus na nossa dieta. E é aqui que os sumos e smoothies entram, por serem uma forma rápida, prática e saborosa de incluir frutas e vegetais crus na nossa alimentação. Esta é também uma excelente opção para quem não gosta ou não consome com frequência vegetais. Não gosta de brócolos? Junte-os a um sumo ou smoothie com os seus frutos preferidos e algumas ervas aromáticas, e vai ver que nem dá pela sua presença!

Uma nota importante... Podem usar a centrifugadora para fazer sumo de qualquer alimento exceto bananas, mangas, abacate e papaia. Frutos com muito amido devem ser usados na liquidificadora e não na centrifugadora. Para confirmarem, leiam as instruções da vossa máquina, que refere de certeza estas exceções.

Para finalizar, existem também vários superalimentos que pode adicionar aos seus sumos e smoothies para aumentar a ingestão de nutrientes, como a spirulina, clorela, açaí, bagas goji, bagas inca, sementes de chia, sementes de cânhamo, entre outros. Pode encontrar estes superalimentos na Iswari SuperFoods Portugal, ou em lojas especializadas como o Celeiro.

Hoje trago-vos um sumo para experimentarem em casa, que fiz durante este mês de detox.
Para a próxima trago-vos um smoothie, para verem a diferença entre ambos.


Spicy and Aromatic Red Detox Juice


































(Serve 2 pessoas)
Tempo de preparação: 5 minutos


Ingredientes 
3 Beterrabas
1 Limão
4 Cenouras
1 Maçã
1 Pêra
1 mão cheia de Morangos
1 pedaço de Gengibre fresco
2 talos de Aipo (com folhas)
6 folhas grandes de Alface
Salsa e Coentros, a gosto
Sementes de Chia, a gosto


Preparação:

Descascar as beterrabas, o limão, as cenouras e o pedaço de gengibre.

Triturar todos os ingredientes numa centrifugadora (não é necessário cortar, coloque na máquina os ingredientes inteiros).

No fim, mexer e polvilhar com sementes de chia. Servir de imediato.











Bolo Integral de Laranja, Passas e Especiarias (sem açúcar) + 4000 Seguidores






























Yeyyy A Cozinha Verde já tem 4000 seguidores!!! Obrigada, obrigada do fundo do coração por acompanharem a minha cozinha e por todo o carinho que me têm dado. Estou de coração cheio... <3 <3 <3

Em jeito de agradecimento, hoje tenho para vocês uma receita especial. Um bolo integral de Laranja, Passas e Especiarias, sem ovos nem lacticínios como já é costume, e sem açúcar!! Mas não se deixem enganar pela falta do açúcar na lista de ingredientes, garanto-vos que este bolinho vos vai adoçar da primeira à última fatia!

Aliás, foi uma missão praticamente impossível fotografá-lo. Fi-lo ontem ao fim do dia, e hoje à tarde quando o ia fotografar, já só havia pouco mais do que migalhas... É bom sinal!


Bolo Integral de Laranja, Passas e Especiarias 
(Um aroma intenso a Citrinos e Especiarias, que vai muito provavelmente atrair os vizinhos do lado à nossa porta)
Sem açúcar
Faz 1 bolo 
Tempo de preparação: 60 minutos

Ingredientes
1,5 cup/chávena de Cenoura ralada (cerca de 2 cenouras médias)
1 colher de sopa de Sementes de Linhaça moídas
1/2 cup/chávena de Geleia de Agave ou outro substituto natural do açúcar
3/4 cup/chávena de sumo de Laranja (cerca de 3 laranjas médias)
1/3 cup de Azeite Extra Virgem ou outro óleo vegetal de sua preferência
1/2 colher de chá de Vinagre de Sidra
2 colheres de chá de raspas de Laranja
1,5 cup/chávena de Farinha Integral
2 colheres de chá de Canela em pó
1/2 colher de chá de Gengibre em pó
2 colheres de chá de Fermento
1/2 colher de chá de Bicabornato de Sódio
1/4 colher de chá de Sal Marinho fino
1/2 cup/chávena de passas-uva, demolhadas em água quente cerca de 10 minutos, e escorridas





Preparação:

Pré-aquecer o forno a 180º. Borrifar uma pequena forma de pão com óleo vegetal e salpicar com farinha por cima (pode também forrar a forma com papel vegetal).

Numa tigela média, misturar a cenoura ralada, a linhaça moída, a geleia de agave, o sumo de laranja, o azeite, o vinagre de sidra e as raspas de laranja.  Reservar durante alguns minutos, enquanto prepara os ingredientes secos.

Numa tigela grande, misturar a farinha integral, a canela, o gengibre, o fermento, o bicabornato de sódio e o sal.

Juntar os ingredientes líquidos aos secos e misturar até que estejam bem combinados. Juntar as uvas-passa e envolver delicadamente.

Deitar a massa na forma e levar ao forno a 180º, cerca de 45 minutos, ou até que um palito saia limpo.

Depois de cozido, deixar arrefecer o bolo 10 minutos na forma e, em seguida, desenformar e transferir o bolo para uma rede, para arrefecer totalmente.






























No final, fiz uma cobertura de Limão Glaceado, em que bati manualmente 1/2 cup/chávena de açúcar em pó com sumo de um limão, até obter um creme consistente. Reguei o topo do bolo com esta cobertura antes de servir.

Se preferirem abdicar completamente do açúcar, usem frutos secos e canela ou outra cobertura da vossa preferência. Ou não usem nada. Este bolo dispensa perfeitamente coberturas.


Dicas:
Quando estiverem a preparar os ingredientes secos, experimentem juntar umas sementes de papoila ou de chia, ou outras que tiverem à disposição.

A substituição da Farinha Integral por Farinha de Espelta resulta muito bem. Tenham apenas em atenção a delicadeza da Farinha de Espelta, pelo que devem redobrar o cuidado na altura de mexer a massa.


Se não tiverem ou não gostarem de passas, substituam por outro fruto da vossa preferência. Nozes, amêndoas, avelãs...o que quiserem!

Bio.Eco.Vegan. #2 {Base para o rosto avril}



Hoje trago-vos mais um produto para a rubrica #bioecovegan.

Experimentei esta base para o rosto da avril pela primeira vez há um mês atrás, e confesso que fiquei rendida. Não sou mulher de muita maquilhagem, mas de vez quando lá dou uso aos pincéis e ao estojo de maquilhagem que anda aqui por casa.
Gosto de maquilhagem simples e em tons naturais, e opto sempre por produtos sem químicos nocivos para a pele, que não tenham sido testados em animais e que não tenham ingredientes de origem animal. Preferencialmente, uso maquilhagem biológica.


Assim que descobri esta base, verifiquei que não era certificada pela Vegan Society. Acedi então ao site da marca, para mais informações.

Descobri que:
  • Todos os produtos são certificados pela Ecocert;
  • Todas as embalagens são biodegradáveis ou recicláveis;
  • Os produtos são livres de OGM, parabenos, fenoxietanol, nanopartículas, silício, PEG, perfumes e corantes sintéticos e ingredientes de origem animal (com exceção do leite e do mel em alguns produtos, mas verifiquei que não constavam na lista de ingredientes da base para o rosto);
  • Não testam em animais;
  • Os seus produtos contém um mínimo de 95% de ingredientes de origem natural e pelo menos 10% são provenientes de agricultura biológica.
Finda a pesquisa, e com a garantia de que a base se encontrava dentro dos meus três princípios de escolha, fiz a encomenda através do Escolhas Biológicas.

No site, têm disponíveis três tons desta base: clair, nude e doré. Optei pela nude, por ser indicada para tons de pele médios, que é o meu caso.




Esta é uma base biológica que garante um tom uniforme à pele, ao mesmo tempo que a deixa respirar.
A tez fica iluminada e unificada com um resultado 100% natural. É ainda enriquecida com óleo de jojoba biológico que nutre e hidrata a pele.

Elaborado com 98,97% de ingredientes naturais e com 12,47% de ingredientes provenientes de agricultura biológica, este produto é certificado pela Ecocert Greenlife e fabricado em França.


O resultado final foi de encontro às minhas expectativas. Uma base suave e hidratante, que deixa a minha pele uniforme e com o aspeto natural que pretendia.

Para encomendarem esta base da avril, cliquem aqui.

Nota: 
Não se esqueçam de escolher o tom da base que melhor se aplique ao tom da vossa pele. 

Detoxing | Salada morna de Quinoa com Batata Doce Assada, Cogumelos e Couve Portuguesa





















O mês de Fevereiro já vai praticamente a meio, e o balanço do meu plano #detoxquatrosemanas está a ser muito positivo.

Hoje trago uma receita rápida e muito simples para experimentarem em casa, que se adequa perfeitamente a um detox.

Como já tinha dito, estou a fazer um plano detox ligeiro, em que incluo diariamente uma refeição sólida, para além dos sumos, smoothies e sopas. Existem muitas teorias e formas de fazer um detox, todas elas com a sua validade, e esta é aquela que considero ser mais adequada ao meu organismo e estilo de vida. Para além disso, estamos em pleno Inverno, o que ainda reforça mais a vontade de comer alguma coisa consistente, quente, ou como no caso da receita de hoje, morna.

Fazer uma refeição de detox é muito simples. Sim, dá mais trabalho do que fazer uma sopa, um smoothie ou um sumo de frutas e vegetais, mas não deixa de ser rápido e simples. O objetivo do detox é eliminar as toxinas do nosso organismo, excluindo alimentos que produzam o efeito contrário no nosso corpo, como já falei aqui. Por isso, temos apenas de criar um prato delicioso, em que deixamos de parte os alimentos "proibidos", usando unicamente alimentos que potenciem o efeito desintoxicante. Os pratos devem ter pouco sal, o que se torna fácil se usarmos ervas aromáticas e especiarias. Optem preferencialmente por produtos biológicos. Hoje em dia encontram-se já muitos mercados e lojas especializadas que vendem estes produtos a preços acessíveis.

É assim a receita de hoje. Simples, nutritiva e saborosa.

Por último, uma dica infalível para um prato detox: quanto mais simples, melhor.


Salada morna de Quinoa com Batata Doce Assada, Cogumelos e Couve Portuguesa
Sem glúten
(Serve 2 a 3 pessoas)
Tempo de preparação: 40 minutos

Ingredientes
1 colher de sopa de Azeite Extra Virgem
1 Batata Doce grande
1 Cebola, picada
2 dentes de Alho, picados
1/2 colher de sopa de Vinagre Balsâmico
300 gramas de Cogumelos frescos
5 folhas grandes de Couve Portuguesa
1 cup/chávena de Quinoa
Sal Marinho, a gosto
Tomilho, a gosto
Pimenta Preta moída na hora, a gosto


Preparação:

Num tacho, ferver dois cups/chávenas de água e juntar a quinoa. Cozer em lume brando, com uma pitada (muito pequena) de sal marinho, até a água evaporar. Reservar, com o tacho tapado.

Pré-aquecer o forno a 180º. Descascar a batata doce, cortá-la em pequenos pedaços e levá-la a água a ferver, só até amolecer ligeiramente. Forrar um tabuleiro com papel vegetal e levar a batata doce ao forno, regada com meia colher de sopa de azeite extra virgem, tomilho e pimenta preta a gosto. Assar por 15 a 20 minutos. Reservar.

Aquecer em lume médio uma frigideira grande com meia colher de sopa de azeite extra virgem. Juntar os alhos e a cebola picada e saltear ligeiramente. Juntar os cogumelos laminados e o vinagre balsâmico e cozinhar até os cogumelos se apresentarem tenros.

Baixar o lume para o mínimo e juntar a couve portuguesa, previamente picada. Temperar com uma pitada de sal marinho e pimenta preta moída na hora. Misturar bem e deixar a couve murchar ligeiramente. Desligar o lume.

Adicionar a quinoa e envolver tudo com cuidado.

Por último, juntar a batata doce assada e envolver com cuidado, para não desmanchar a batata doce.

Está pronto a servir... Bom apetite!!


Detoxing | Healthy Chocolate Mousse

Hoje trago-vos a receita da minha mousse de chocolate saudável. Há uns dias atrás, deu-me uma vontade incontrolável de comer algo doce. Quando olhei para os abacates maduros que tinha na fruteira, soube logo aquilo que me apetecia. Esta é capaz de ser das sobremesas mais fáceis e rápidas de fazer. Contudo, não se deixem enganar pela sua facilidade. O resultado final desta mousse revela-se surpreendentemente rico, com uma textura cremosa ao nível das melhores mousses e um sabor inconfundível, doce e com um toque de frescura. Um vício saudável, é o que é... 

Esta é uma receita que  poderá fazer durante um detox suave como este que estou a fazer, quando estiver mesmo a precisar de algo doce. Vai satisfazer o seu desejo, mas com zero açúcar adicionado e muitos benefícios para a saúde.

Estes benefícios resultam essencialmente do consumo do abacate, fruto rico em gorduras insaturadas e proteínas, fonte de vitaminas A, B3, B5, B6, C e E, poderosos antioxidantes que atuam como protetores das células, e minerais como ferro, potássio, magnésio e cálcio. O seu consumo ajuda no processo de emagrecimento, devido ao seu alto teor de fibras, que promove maior saciedade e ajuda no funcionamento do trânsito intestinal. 





























Mousse de Chocolate Saudável
Sem açúcar, sem glúten
(Serve 2 pessoas)
Tempo de preparação: 5 minutos


Ingredientes 
2 abacates pequenos, maduros
3 a 4 colheres de sopa de cacau cru em pó
1/3 cup/chávena de Geleia de Agave (ver nota no final)
1/2 vagem de baunilha
Amêndoas picadas grosseiramente, a gosto


Preparação:

Abrir os abacates e retirar-lhes o caroço. Transferir o abacate para um processador de alimentos.

Cortar uma vagem de baunilha ao meio. Com uma faca, fazer um corte longitudinal na vagem, até ser possível abri-la. Com uma pequena colher ou espátula, raspar com cuidado o conteúdo da vagem (as sementes) e juntar ao processador, juntamente com o abacate.

Juntar a geleia de agave e o cacau ao processador e triturar tudo, até obter uma textura cremosa.

Transferir a mousse para duas taças e levar ao frigorífico durante algum tempo. Na hora de servir, picar grosseiramente amêndoas e distribuir por cima das mousses.


Nota: 
Aconselho a não colocar logo 1/3 cup de geleia de agave. Experimente juntar inicialmente metade da quantidade e prove. Se achar que precisa de adoçar mais, junte o restante.


O que fazer com a Vagem de Baunilha depois de lhe retirar as sementes





























Depois de usar as sementes da vagem de baunilha, não a deite fora!

A vagem de baunilha é uma opção saudável e que nada tem a ver com as essências de baunilha que se vendem nos hipermercados. O seu sabor é muito mais rico, além de ser totalmente natural. Também por isso, é muito mais cara do que as referidas essências.

Por isso, depois de usar as suas sementes, guarde a vagem num local fresco e seco (dentro de um frasco de vidro vazio ou no frasco do açúcar, também de vidro) para futuras utilizações.

Pode, por exemplo, ferver a vagem da baunilha sem sementes para fazer calda de baunilha ou juntá-la diretamente a qualquer tipo de creme que esteja a fazer. Basta retirá-la depois de ferver.

A grande vantagem é que pode usar a vagem várias vezes. Depois de a ferver a primeira vez em algum caldo ou creme, basta deixá-la secar totalmente e voltar a guardá-la no frasco. A sua essência mantém-se por várias utilizações, basta cheirá-la para sentir.

Detoxing | Creme de Lentilhas Vermelhas, Cenoura e Alho Francês


No dia 1 de Fevereiro comecei o meu plano detox de quatro semanas. Cinco dias depois, faço o meu primeiro balanço desta experiência...

Não tem sido complicado fazer uma alimentação baseada nos princípios que referi no post anterior. O único problema é a falta de tempo, que não me tem deixado espaço para muitas experiências culinárias. 

Em poucas palavras, vou tentar resumir a minha alimentação diária... Começo o dia com um smoothie de frutas e legumes. Duas a três horas depois, faço uma pausa para um snack (exemplo: fruta, frutos secos, granola caseira, trufas de frutos secos). Ao almoço, opto por uma refeição ligeira de detox. A meio da tarde, pausa novamente para um snack, um sumo de fruta ou hummus. À noite, janto geralmente uma sopa detox, um sumo ou uma peça de fruta. Antes de me deitar, bebo um chá, quase sempre verde e com gengibre. 
Tenho bebido muita água (já bebia antes), e começo a sentir ligeiramente os efeitos do detox. Digo ligeiramente, pois como já tinha referido não mudei drasticamente a minha alimentação. Basicamente, retirei o glúten, o café, o açúcar, tudo o que seja refinado/processado/embalado e reduzi ainda mais o sal. Acho que a maior alteração que sinto está relacionada com o glúten, ou neste caso, com a ausência dele. O glúten, sendo de difícil digestão, provocava-me por vezes uma sensação de "inchaço" no estômago depois da refeição, que não tenho sentido nos últimos dias. Sinto que faço a digestão com maior rapidez, sentindo-me sempre "leve" depois de cada refeição. 

A centrifugadora e a liquidificadora têm sido as minhas melhores amigas... tenho descoberto novos sumos todos os dias, cada um mais delicioso do que o outro! A seu tempo, partilho com vocês as minhas descobertas.

Hoje tenho para vocês uma receita detox, adequada para este tempo frio que se faz sentir. Uma sopa reconfortante e saciante, provavelmente uma das minhas preferidas!


As Lentilhas Vermelhas



As lentilhas são uma das leguminosas mais antigas. As lentilhas vermelhas apresentam uma consistência suave e apresentam tempos de preparação e confeção curtos.

Ajudam a reduzir o colesterol e a regular o trânsito intestinal.

Apresentam um elevado valor nutricional, sendo ricas em proteínas, hidratos de carbono (dos quais se destacam a fibra alimentar), vitaminas do complexo B (ácido fólico), minerais (cálcio, magnésio, fósforo e potássio), oligoelementos (manganésio, ferro e cobre) e são praticamente isentas de gordura.


Creme de Lentilhas Vermelhas, Cenoura e Alho Francês
Sem glúten
(Serve 4 pessoas)
Tempo de preparação: 50 minutos



Ingredientes 
1 Cebola pequena
2 dentes de Alho
Azeite Extra Virgem
2 Cenouras grandes
2 Alho Francês
300 gramas de Lentilhas Vermelhas
Salsa fresca (para guarnecer)

Preparação:

Cortar a cebola e o alho em fatias e levar ao lume com um fio de azeite. Deixar refogar uns minutos. Juntar as cenouras e o alho francês, cortados em pequenos pedaços, ao refogado e deixar cozinhar em lume médio, até amolecerem.

Juntar as lentilhas vermelhas e mexer bem. Juntar água até tapar todos os legumes e deixar cozer, aproximadamente cerca de 15 a 20 minutos. Se necessário, juntar mais água durante o processo de cozedura.

Quando estiver cozido, desligar o lume e esperar uns 10 minutos antes de triturar tudo com uma varinha mágica. Temperar com sal marinho e pimenta preta a gosto e levar de novo ao lume até ferver. Provar para acertar o tempero.

Servir guarnecido com salsa fresca, a gosto.